WILLIAM LANE CRAIG RESPONDE A DAWKINS SOBRE OS CANANEUS

dezembro 15, 2011 às 5:31 pm | Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

WILLIAM LANE CRAIG RESPONDE A DAWKINS SOBRE OS CANANEUS

Em primeiro lugar, assista ao vídeo abaixo:

http://www.youtube.com/watch?v=yDDdUK6qQpA

Esse é um artigo curto com o objetivo de mostrar duas coisas:

1. Deus não ordenou o genocídio dos cananeus por parte dos Israelitas.

2. Richard Dawkins não deve ser levado muito a sério e se você for ateu militante em grande parte por influência dele, deveria reconsiderar.

Nem é preciso dizer que Richard Dawkins é um dos maiores promotores e defensores do ateísmo hoje em dia. Seu prestígio em meio aos ateístas, especialmente os mais engajados em discussões na internet, é enorme e podemos admitir que ele também goza de influência considerável no meio acadêmico secular. Logo, é claro que vários apologistas Cristãos considerem importante lidar com as idéias e argumentos proferidos por ele, em livros, palestras e… debates?

Bem, quem escreve e se pronuncia acerca de temas difíceis e polêmicos, tem de estar ciente de que suas palavras geram reações, que nem sempre se está certo e que às vezes é necessário – isso mesmo, além de importante e desejável é também necessário, num sentido de quase obrigatoriedade, debater suas idéias com outros acadêmicos, de visões opostas. Especialmente no que diz respeito a esse tema, da existência de Deus, que provavelmente é o assunto mais importante que existe.

Não obstante, Dawkins não tem um bom histórico como debatedor. Após ter escrito seu livro mais famoso, “O Relojoeiro Cego”, participou em um debate em 1986 contra criacionistas, porém, ficou desapontado, pois muito mais gente do que ele esperava, para um debate em Oxford, votou no lado criacionista e, talvez por conta disso, passou a evitar esse tipo de atividade. Até recentemente, quando passou a promover o ateísmo de maneira ainda mais agressiva e em 2007 participou em um debate contra o matemático John Lennox, no qual seu desempenho foi ruim. Talvez Dawkins tenha aceitado debater contra ele, pois pensou que, sendo um britânico, professor de Oxford, Lennox fosse um Cristão muito genérico, mas esse não foi o caso e assim ele tem evitado engajar em discussões e debates com apologistas Cristãos bem preparados, preferindo confrontar clérigos despreparados, tipo esses Ted Haggards da vida.

De qualquer forma, recentemente tem havido um movimento cujo tamanho e importância eu não sei estimar, pedindo para que Dawkins engaje em um debate acadêmico contra o apologista Cristão William Lane Craig, tendo em vista a importância e proeminência dos dois para suas respectivas visões de mundo. Dawkins se recusa, claro. Os problemas são que, além de se recusar, Dawkins usa de ataques pessoais para denegrir Craig e suas justificativas para não participar são tão ruins que praticamente chegam a ser admissões tácitas de que ele perderia o debate: grande surpresa… Vejamos algumas no vídeo a seguir:

http://www.youtube.com/watch?v=yDDdUK6qQpA

Mas pra quê isso? Ora, mesmo sendo blindado artificialmente por uma turba inflamada de ateus militantes da internet, ele sabe muito bem que se tornou uma espécie de pilar da fé para o ateísmo de muitos. Também sabe muito bem que seus argumentos não são grande coisa. Isso poderia acarretar em perda de prestígio e alguns crentes no ateísmo poderiam reconsiderar seus posicionamentos.

Então, recentemente, Dawkins fabricou mais uma desculpa para não debater, baseada no episódio de desapropriação das terras dos cananeus por parte dos Israelitas:

http://www.guardian.co.uk/commentisfree/2011/oct/20/richard-dawkins-william-lane-craig?CMP=twt_fd

Esse mesmo artigo foi depois criticado por dois outros ateístas, no mesmo jornal:

http://www.guardian.co.uk/commentisfree/belief/2011/oct/22/richard-dawkins-refusal-debate-william-lane-craig

http://www.guardian.co.uk/commentisfree/andrewbrown/2011/nov/09/richard-dawkins-william-lane-craig

Craig responde a essa acusação exatamente no evento em que se esperava (não muito) que Dawkins participasse (é o vídeo inicial):

http://www.youtube.com/watch?v=EN8eMcngP-w

Pra terminar, acho que também é importante mostrar que, se o critério de Dawkins é o de que ele não quer nem chegar perto de quem supostamente apóia matanças em certas ocasiões, está sendo inconsistente:

1. Ele mesmo, em seu livro O rio que saia do Éden (p. 70), nos diz sobre esse nosso universo:

“Ao contrário, se o universo fosse constituído apenas por elétrons e genes egoístas, tragédias sem sentido como o desastre deste ônibus seriam exatamente o que esperaríamos, junto com uma boa sorte igualmente destituída de significado. Este universo não teria intenções boas ou más. Não manifestaria qualquer tipo de intenção. Em um universo de forças físicas e replicação genética cegas, algumas pessoas serão machucadas, outras pessoas terão sorte, você não achará qualquer sentido nele, nem qualquer tipo de justiça. O universo que observamos tem precisamente as propriedades que deveríamos esperar se, no fundo, não há projeto, propósito, bem ou mal, nada a não ser uma indiferença cega, impiedosa. Como o infeliz poeta A. E. Housman colocou:

For Nature, heartless , witless Nature Will neither know or care

Pois a natureza, desapiedada, a natureza estúpida! Não saberá ou se importará.

O ADN não sabe e nem se importa. O ADN apenas é. E nós dançamos de acordo com a sua música.”

Quem pensa assim, não tem justificativa pra ficar reclamando de que coisas ruins acontecem por aí.

2. Ele mesmo, ao lado de alguém que considero grotesco, Peter Singer, considera que é viável matar crianças de até dois anos de idade que tenham doenças ou algo que não lhes permita viver uma “vida digna”. Sempre é bom se indagar: a cura ou tratamento podem ser descobertos amanhã e acho até hilário esses senhores se considerarem aptos a palpitar sobre a dignidade da vida de alguém. Só ver aqui, aproximadamente dos 24 aos 28 minutos do vídeo:

http://www.youtube.com/watch?v=GYYNY2oKVWU

3. Christopher Hitchens considera que existe a possibilidade de o ocidente (digamos assim) ter de matar islâmicos em massa: http://scienceblogs.com/pharyngula/2007/10/ffrf_recap.php

4. Sam Harris também tem opinião similar, apesar de bem mais comedida, apesar de que, soltar uma bomba atômica em algum lugar, não parece ser algo tão moderado: http://www.samharris.org/site/full_text/response-to-controversy2

Antes de ser mal interpretado, destaco que é óbvio que Hitchens e Harris estão defendendo uma espécie de legítima defesa pré-emptiva, tendo em vista a periculosidade do inimigo. Mas compare os julgamentos: o dos ateístas é explodir todo mundo, o de Deus, no caso dos cananeus, foi a desapropriação das terras.

Dawkins talvez também creia que é melhor explodir do que expulsar: quer manter distância de Craig e prefere sentar na mesa com seus amigos ateus pra tomar cana e brincar de cavaleiro do apocalipse. Até que esse adjetivo caiu bem neles, entretanto, ao expulsar Craig da roda, explodiu sua credibilidade.

Terminando, após mostrar a inconsistência da posição de Dawkins e suas desculpas fabricadas. Se você é ateísta, deveria se perguntar o seguinte: “se nem o Dawkins bota tanta fé nos argumentos dele contra a existência de Deus, por que eu deveria?”.

PS: posteriormente, mais sobre como Deus é malvado e manda matar os outros, o que causa grande indignação nas alminhas puras de alguns ateístas militantes.

TrackBack URI

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.
Entries e comentários feeds.

%d blogueiros gostam disto: