A CIÊNCIA E O MÉTODO CIENTÍFICO

fevereiro 10, 2009 às 6:01 pm | Publicado em Blogroll, Uncategorized | Comentários desativados em A CIÊNCIA E O MÉTODO CIENTÍFICO

O que é ciência? De forma geral, pura e simplesmente “saber”. Mas em um sentido mais específico, ciência da forma que um cientista faz dentro de um laboratório pode ser definida como:

Forma ou conjunto de procedimentos utilizados para adquirir conhecimentos baseada em observações e experimentos passíveis de serem repetidos e que acabam por originar teorias. A ciência também busca desvendar as leis que descrevem o funcionamento do mundo material.

Um conceito associado é o de tecnologia, que consiste na utilização dos conhecimentos científicos para a obtenção de resultados práticos.

O conjunto de procedimentos utilizados pelos cientistas pode ser resumido ou exemplificado pelo método científico clássico, que consiste das seguintes etapas:

  1. Problema: a primeira coisa que se faz é perceber um “problema”. Basicamente é aquilo que se quer resolver ou saber mais sobre.

  2. Pergunta: então o problema é formulado em forma de pergunta, para que a partir daí se possa tentar obter uma resposta.

  3. Formulação de uma hipótese. Hipótese é uma tentativa de explicar um fenômeno.

  4. Teste da hipótese: consiste na observação e/ou elaboração de um experimento para testá-la.

  5. Conclusões sobre a validade da hipótese: onde se pode rejeitar ou aceitar a hipótese, dependendo dos resultados dos testes. Se a hipótese for rejeitada, é necessário formular uma nova, a partir dos dados obtidos, caso a hipótese seja confirmada ou aceita, ela pode vir a fazer parte de uma teoria.

Teoria: conjunto de conhecimentos que procura explicar fenômenos abrangentes da natureza.

Vejamos um exemplo clássico:

Alguém observa ou sabe que algumas goiabas apresentam larvas. Essa mesma pessoa também observa ou sabe que é comum haver moscas pousando nas goiabas em determinados períodos. Daí surge um problema, que pode ser formulado como pergunta: de onde vêm as larvas das goiabas?

O segundo passo é formular uma hipótese. Neste caso, a pessoa suspeita que as larvas sejam provenientes de ovos de moscas depositados nos frutos.

Em seguida, deve-se testar a hipótese. O indivíduo propôs fazer o seguinte: cobrir algumas goiabas com sacos plásticos antes do período em que as moscas começam a sobrevoar e pousar nos frutos.

Como você provavelmente já sabe, ao final do experimento, os frutos cobertos não apresentarão larvas (indicando que são provenientes dos ovos das moscas). Ao passo que os frutos descobertos, onde as moscas puderam pousar, apresentarão larvas, justamente devido ao fato de que as moscas puderam depositar seus ovos neles. A conclusão que se tira é a de que a hipótese foi confirmada e é verdadeira.

Alguns detalhes importantes a serem destacados:

  1. Note que a pessoa não cobriu todos os frutos. Em um experimento sempre é importante ter um grupo experimental que irá sofrer uma intervenção (neste caso, as goiabas cobertas) e um segundo grupo, chamado de grupo controle, que não sofrerá a intervenção (goiabas descobertas), mas ao final do experimento será comparado ao grupo experimental, para que se possamos ter uma boa noção dos efeitos da intervenção. Se acontecesse de as goiabas descobertas também não apresentarem larvas, a hipótese poderia ter de ser descartada ou reformulada.

  2. Caso a pessoa tivesse proposto a hipótese de que as larvas são provenientes das próprias goiabas, e não das moscas, os resultados do experimento iriam descartar essa hipótese, que por sua vez teria então de ser descartada ou reformulada.

  3. Os conhecimentos obtidos com esse conhecimento científico poderiam ser utilizados no desenvolvimento de tecnologias de preservação dos frutos, por exemplo.

Blog no WordPress.com.
Entries e comentários feeds.

%d blogueiros gostam disto: