ENVELHECIMENTO

dezembro 1, 2008 às 5:37 pm | Publicado em Blogroll, Uncategorized | Comentários desativados em ENVELHECIMENTO

ENVELHECIMENTO

DEFINIÇÕES

· Envelhecimento: conjunto de mudanças que ocorrem no corpo durante a vida.

· Senescência: Deterioração progressiva das funções corporais ao longo do tempo, como a perda de fitness, e acúmulo de placas de lipídios nos vasos sangüíneos (aterosclerose). A senescência pode se dar devido a dois tipos básicos de fatores:

o Intrínsecos: como as mutações gênicas.

o Extrínsecos: fatores ambientais diversos, como exposição a toxinas ou à radiação UV.

· Expectativa de vida: tempo, em média, esperado de vida de um organismo pertencente a uma determinada espécie e local. Por exemplo: humanos no Brasil têm 71,3 anos de expectativa de vida.

· Longevidade: número máximo de anos que se espera que um organismo viva. Por exemplo: 122 anos para os seres humanos.

o Para os organismos unicelulares ou células individuais, a longevidade é medida em termos de quantas vezes irão se dividir. Fibroblastos humanos dividem-se aproximadamente 50 vezes, e S. cerevisiae, 21 vezes.

CAUSAS DA SENESCÊNCIA

Atualmente existem dois conjuntos de proposições tentando explicar os motivos pelos quais a senescência ocorre:

· Programa de desenvolvimento: acredita-se que a senescência se inicie graças à expressão gênica diferencial, ou seja, em determinado momento, alguns genes podem ter sua expressão alterada de forma a iniciar o processo de senescência.

· Acúmulo de defeitos/erros: neste caso, basicamente, o acúmulo progressivo de mutações causaria o processo de senescência.

FATORES QUE PODEM PROMOVER A SENESCÊNCIA

Encurtamento dos telômeros:

Os telômeros consistem de seqüências curtas repetidas nas extremidades dos cromossomos (em humanos a seqüência é TTAGGG). Essas extremidades não contêm genes e sua função é proteger as porções cromossomais contendo genes contra danos (funcionam de forma análoga àquelas capinhas de plástico nas pontas dos cadarços dos tênis).

Acontece que ao longo das sucessivas divisões pelas quais as células passam, ocorre a perda dessas seqüências teloméricas, o que promove o encurtamento dos telômeros. Acredita-se que ao ter seus telômeros reduzidos até certo ponto, a célula pára de se dividir (entra na senescência), pois caso continuasse, passaria a perder seqüências cromossômicas contendo genes.

Para contrabalançar esse problema, algumas células, como as da linhagem reprodutiva e células cancerosas possuem ativo o gene que codifica uma enzima chamada telomerase, cuja função é substituir seqüências teloméricas perdidas e então postergar o início da senescência celular.

Espécies reativas de oxigênio:

Um dos fatores que podem promover o dano celular é a oxidação. Infelizmente, o processo de respiração celular pode gerar alguns subprodutos danosos, como as espécies reativas de oxigênio (EROs), também conhecidas como radicais livres de oxigênio.

Essas são moléculas nas quais o elemento oxigênio possui elétrons desemparelhados em seu orbital mais externo, sendo assim, irá “roubar” elétrons de outras moléculas para parear com os seus, fazendo com que essas moléculas se tornem instáveis e se combinem rapidamente com outras, como o DNA, causando-lhes danos.

De forma geral, as EROs são formadas quando ocorre, no final da cadeia de transporte de elétrons, a combinação do oxigênio com um elétron, formando o radical superóxido (uma ERO):

O2 + e –> O2·

Apesar de nossas células possuírem mecanismos enzimáticos capazes de neutralizar as EROs, e de ingerirmos alguns alimentos com propriedades antioxidantes (como a vitamina C), o fato é que ao longo do tempo as EROs acabem se acumulando e causando danos capazes de iniciar um quadro de senescência.

Ligações cruzadas entre proteínas

Neste caso, causado pelo processo de glicosilação não-enzimática, em que, ao longo do tempo, lentamente, moléculas de glicose se ligam a proteínas diversas e iniciam uma série de reações químicas que liga às proteínas umas às outras, alterando suas estruturas e funções. Apesar de o processo ser lento, as proteínas ligadas acabam se acumulando e então podem promover o início da senescência celular. Em indivíduos diabéticos este processo tende a ser acelerado, tendo em vista as maiores concentrações de glicose no sangue.

A glicosilação do colágeno promove sua perda de flexibilidade, o que por sua vez pode causar o enrijecimento dos tecidos dos pulmões, artérias e tendões por exemplo.

FATORES QUE PODEM RETARDAR A SENESCÊNCIA

Basicamente, um dos únicos processos conhecidos que podem efetivamente prolongar o tempo de vida e postergar a senescência, pelo menos de camundongos de laboratório é submeter esses animais a uma dieta de restrição calórica.

A restrição calórica (RC) consiste numa dieta em que se reduz a quantidade de calorias ingeridas em 30-40 %, sem retirar outros componentes essenciais, como vitaminas, sais minerais e etc. Acredita-se que a RC pode promover a longevidade, pois esse processo seria capaz de ativar alguns genes que codificam proteínas chamadas sirtuínas, que por sua vez iriam atar no sentido de promover a longevidade.

É sabido que a ingestão de uma substância chamada resveratrol, presente nas cascas das uvas (e em conseqüência nos vinhos tintos) é capaz de promover a atividade das sirtuínas, atuando como mímica da restrição calórica. Graças a este fato é que algumas populações, como os franceses (que consomem bastante vinho tinto), apesar de terem uma dieta de alto conteúdo calórico, equivalente à dos americanos, apresentam baixos índices de incidência de doenças cardíacas (1/3 do índice americano) e doenças associadas ao excesso de peso e/ou colesterol.

Blog no WordPress.com.
Entries e comentários feeds.

%d blogueiros gostam disto: