SISTEMA RESPIRATÓRIO

novembro 8, 2007 às 6:24 pm | Publicado em Blogroll, Uncategorized | Comentários desativados em SISTEMA RESPIRATÓRIO

SISTEMA RESPIRATÓRIO

O termo respiração pode ser definido de duas formas:

  • Respiração celular: processo que ocorre nas mitocôndrias, e cujo objetivo é a produção de energia a partir de uma seqüência de reações de oxidação da glicose:
    • C6H12O6 + O2 à CO2 + H2O + Energia (na forma de ATP).
  • Respiração Pulmonar: consiste em trocas gasosas entre o ar e o sangue. O nome desse processo é hematose, e ele ocorre nos alvéolos pulmonares. Neste caso, os gases respiratórios são o O2, utilizado no processo de respiração celular, e o CO2, resultante deste mesmo processo.

O sistema respiratório é o conjunto de órgãos responsáveis por efetuar as trocas gasosas entre o ar e o sangue de forma adequada. É constituído por dois pulmões mais as vias respiratórias, os condutos por onde o ar circula.

Vejamos então o caminho percorrido pelo ar, desde o exterior do corpo até o local das trocas gasosas:

Narinas: por onde o ar entra no organismo.

Cavidades nasais: aquecem, umedecem e filtram o ar. Possuem um epitélio revestido por muco (onde partículas de sujeira se aderem), e também são responsáveis pelo sentido do olfato, pois abrigam o epitélio olfatório. O interior das cavidades nasais apresenta dobras chamadas cornetos nasais, responsáveis por fazer com que o ar inalado circule e seja aquecido (condicionado) graças às trocas de calor com o sangue que percorre a rede de vasos sangüíneos presente no local.

Faringe: tubo compartilhado pelos sistemas respiratório e digestório, conduz o ar até a laringe.

Laringe: órgão tubular constituído por peças cartilaginosas articuladas, uma das quais é a proeminência laríngea. Possui pregas vocais, capazes de produzir sons durante a passagem do ar. A abertura da laringe é chamada glote, e possui uma tampa cartilaginosa chamada epiglote, que a fecha quando engolimos o bolo alimentar que desce pela faringe tendo como destino o esôfago. Quando este mecanismo falha, o alimento cai na laringe e então engasgamos.

Traquéia: outro tubo (1,5 x 10 cm) com paredes reforçadas por anéis cartilaginosos que o mantêm aberto. O epitélio da traquéia é ciliado e produz muco, com função de proteção. Os cílios se contraem de forma rítmica, com o intuito de expulsar partículas de sujeira para fora do aparelho respiratório. Além da traquéia, os brônquios e bronquíolos também apresentam esse epitélio ciliado e com células produtoras de muco.

Brônquios: tubos que conduzem o ar para os pulmões.

Bronquíolos: ramificações que partem dos brônquios. Cada bronquíolo apresenta um alvéolo em sua extremidade. Nos alvéolos estão as superfícies onde ocorrem as trocas gasosas.

Pulmões: órgãos esponjosos (25 cm; 700 g) localizados na caixa torácica. Abrigam os alvéolos e uma rede de vasos sangüíneos que traz o CO2 proveniente da respiração celular para ser eliminado, e recolher o O2 atmosférico a fim de transportá-lo para as células do corpo.

  • Pulmão direito – 3 lóbulos; Pulmão esquerdo – 2 lóbulos (para acomodar o coração).
  • São envoltos por duas membranas de tecido conjuntivo chamadas pleuras. Entre as duas pleuras há um espaço preenchido por líqüido, cujo intuito é reduzir o atrito sobre a superfície dos pulmões, que seria causado pelo seu enchimento e esvaziamento (de ar).
  • Alvéolos: sacos de paredes finas formadas por células achatadas e recobertas por capilares, são as superfícies onde ocorrem as trocas gasosas.
    • 150 milhões em cada pulmão; 1600 km de capilares ligados a uma superfície alveolar do tamanho de uma quadra de tênis.
  • Hematose: difusão de O2 dos alvéolos pra o sangue, e de CO2 do sangue para o ar dos alvéolos. Lembrando que o processo de difusão se dá do meio de maior concentração para o de menor concentração.

Ventilação: renovação do ar dos pulmões. Depende da ação de dois grupos musculares (os músculos respiratórios):

  • Músculos intercostais: músculos entre as costelas, levantam as costelas quando se contraem.
  • Diafragma: membrana musculosa que separa a cavidade torácica da abdominal. Quando se contrai, empurra os órgãos da cavidade abdominal para baixo.

  • Inspiração: Entrada de ar nos pulmões: ocorre quando os músculos respiratórios se contraem, o que aumenta o volume dentro da caixa torácica, diminuindo sua pressão interna.
  • Expiração: Saída de ar dos pulmões: Ocorre quando os músculos respiratórios relaxam, o que diminui o volume dentro da caixa torácica, aumentando sua pressão interna.
    • *O volume de ar inspirado e expirado é de aproximadamente 0,5 L. Por dia, passam 1000 L de ar pelos pulmões, sendo 450-500 L de O2 e 400-450 L de CO2.

Controle dos movimentos respiratórios: os movimentos respiratórios podem ser voluntários ou involuntários. No caso do controle involuntário, a estrutura responsável é o bulbo raquidiano, localizado no encéfalo, que envia, de 5 em 5 s, a ordem para que os músculos respiratórios se contraiam. Além disso, o controle da contração da musculatura torácica e do diafragma também se dá baseado na concentração de CO2 no sangue, refletida pela diminuição de seu pH:

CO2 + H2O > H2CO3 > aumenta a acidez do sangue, esse aumento é detectado por receptores que enviam essa informação ao bulbo, que por sua vez irá aumentar a estimulação dos músculos respiratórios.

COMO SE DÁ O TRANSPORTE DOS GASES RESPIRATÓRIOS

Hemoglobina: proteína localizada no interior dos eritrócitos, constituída de quatro subunidades (duas α e duas β), sendo que cada uma possui um grupamento chamado heme, contendo um íon ferroso capaz de se ligar ao O2. Um detalhe importante: A hemoglobina fetal é distinta da hemoglobina que produzimos quando adultos, a fetal possui maior afinidade pelo oxigênio do que a adulta. Isso é necessário para que possa haver o transporte adequado de oxigênio do sangue da mãe para o feto através da placenta.

O2: transportado ligado às moléculas de hemoglobina. HbO2 (oxiemoglobina). Há 250 milhões de moléculas de hemoglobina por hemácia, e cada uma transporta 4 O2 (visto que é constituída de quatro subunidades). De forma geral, a afinidade da hemoglobina pelo O2 é baixa, e quanto maior a acidez do meio, menor ainda é a afinidade (efeito Bohr). Lembre-se que, os peixes ósseos enchem suas bexigas natatórias de gás oxigênio quando secretam ácido lático no sangue, diminuindo seu pH e fazendo com que as moléculas de hemoglobina liberem oxigênio.

CO2: Transportado de três formas distintas:

  • 5-7 % dissolvido no plasma.
  • 23 % na forma de carboemoglobina HbCO2
    • *Carboxiemoglobina HbCO, um composto estável. CO é resultante da fumaça do cigarro e combustão de motores de veículos.
  • 70 % na forma de íons bicarbonato: CO2 + H2O > H2CO3 > H+ + HCO3 (no plasma). Esta reação, que pode se dar nos dois sentidos é catalisada por uma enzima chamada anidrase carbônica.
    • Tecidos: CO2 à Hemácia à HCO3
    • Alvéolos: HCO3à Hemácia à CO2 (e daqui pra fora do corpo).

DOENÇAS RELACIONADAS COM O SISTEMA RESPIRATÓRIO

  • Sinusite: inflamação de cavidades nos ossos da face (seios). Causa dores e corrimento nasal.
  • Asma Brônquica: diminuição do calibre dos bronquíolos, devida à contração da musculatura lisa deles, e aumento de secreções. Causa dificuldade para respirar e cianose (coloração azulada da pele e mucosas devida ao aumento da concentração de CO2).
  • Enfisema pulmonar: obstrução completa dos bronquíolos. Pode haver rompimento das paredes dos alvéolos comprometendo grandemente o processo de hematose. A causa é o acúmulo de detritos (como os da fumaça do cigarro).

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.
Entries e comentários feeds.

%d blogueiros gostam disto: