DEUS FAZ OS OUTROS DE BESTA? OU: O VAI NÃO VAI DE BALAÃO.

novembro 15, 2007 às 3:53 pm | Publicado em Blogroll, Uncategorized | Deixe um comentário

DEUS FAZ OS OUTROS DE BESTA? OU: O VAI NÃO VAI DE BALAÃO.

 

 

As desventuras do Livro de Balaão, filho de Beor. Ele era um vidente divino.

 

Balaão surgiu pela manhã;

Reuniu os chefes da assembléia em torno de si,

E por dois dias jejuou e chorou amargamente,

Então seus amigos íntimos vieram em sua presença,

E disseram para Balaão, filho de Beor:

Por que você jejua, e por que você chora?

Então ele disse lhes disse:

Sentem-se, e irei relatar para vocês o que os deuses-Shaddai [shaddayyin] planejaram,

E vão, vejam as obras dos deuses!

 

Trecho das Inscrições em gesso de Deir Alla, Jordânia, descobertas em 1967, a 40 km das planícies de Moabe. Data de ~800-700 A.C. [1]

 

A inscrição acima se refere a um sujeito chamado Balaão, que aparece pela primeira vez na Bíblia no livro de Números capítulo 22, onde supostamente existem erros, e aí já viu né… acusações de que Deus não existe e tudo o mais… É imprescindível que você leia pelo menos Números 22, 23 e 24 antes de começarmos nossa análise.

 

Porém, antes de entrarmos no tema em si, vamos assistir o vídeo a seguir pra entrar no clima do negócio: Clique aqui, ou aqui.

 

Quem era Balaão?

 

Em resumo, ele era um adivinho famoso naquela região, visto que como indicado no início do texto, há referências extrabíblicas mencionando algo sobre ele (Lembre-se que a adivinhação é uma prática condenada pelo Senhor em Levítico 19:26, por exemplo). Veja o que a Bíblia ainda diz sobre Balaão em (ele também é mencionado em outros locais):

 

  • 2 Pedro 2:15-1615Andam perdidos porque se desviaram do caminho certo. Seguem o caminho de Balaão, filho de Beor, que cobiçou o dinheiro que ia receber fazendo o mal 16e foi repreendido por causa do seu pecado. Pois uma jumenta falou com voz humana e acabou com as loucuras do profeta.
  • Judas 1:11 – Ai deles! Seguem o mesmo caminho de Caim. Por causa de dinheiro, eles se entregam ao mesmo erro de Balaão. E, como Corá se revoltou e foi destruído, eles também se revoltam e serão destruídos.
  • Apocalipse 2:12-17 – 12– Ao anjo da igreja de Pérgamo escreva o seguinte:
  • “Esta é a mensagem daquele que tem a espada afiada dos dois lados. 13Eu sei que vocês moram aí onde está o trono de Satanás. Vocês são fiéis e não abandonaram a fé que têm em mim, até mesmo quando Antipas, minha testemunha fiel, foi morto aí em Pérgamo, onde Satanás mora. 14Mas tenho algumas coisas contra vocês: há entre vocês alguns que seguem o ensinamento de Balaão, que mostrou a Balaque como fazer com que o povo de Israel pecasse, dizendo que os israelitas deviam comer alimentos oferecidos aos ídolos e cometer imoralidades. 15Assim também estão entre vocês alguns que seguem os ensinamentos dos nicolaítas. 16Arrependam-se! Se não, eu logo irei até aí e, com a espada que sai da minha boca, lutarei contra essa gente.
  • 17“Portanto, se vocês têm ouvidos para ouvir, então ouçam o que o Espírito de Deus diz às igrejas.
  • “Aos que conseguirem a vitória eu darei do maná escondido. E a cada um deles darei uma pedra branca, na qual está escrito um nome novo que ninguém conhece, a não ser quem o recebe.”

 

Ao que tudo indica, a reputação dele não era das melhores: Um idólatra ganancioso. Todavia, aparentemente, ele realmente tinha contato com algum tipo de “divindade”, haja vista o fato de Balaque dizer em Números 22:6 que ele tinha certo poder de amaldiçoar os outros: Eu sei que, quando você abençoa alguém, esse alguém fica abençoado e, se você amaldiçoa, fica amaldiçoado.

 

Capa de um livro sobre Balaão: Um profeta atrás de lucro.

 

E qual é o problema afinal?

 

O problema, lendo Números 22, é que à primeira vista o texto nos dá a entender que Deus falou mesmo com Balaão, ou seja, Balaão seria um profeta de legítimo, então Deus mandou Balaão ir ao encontro de Balaque, e depois mudou de idéia sem justificativa ficando irado porque Balaão foi (Números 22:20-22). Os críticos afirmam que alguns idiotas pegaram quaisquer coisas mencionando Balaão e fizeram uma espécie de colagem, formando o texto da Bíblia, que segundo eles se contradiz e atesta contra a inerrância das escrituras e a existência de Deus. Sendo assim, vamos destacar algumas coisas estranhas nas passagens bíblicas de interesse:

 

  • Balaão NÃO era um profeta de Deus, e isso é evidenciado pelo fato dele ser um adivinho, cogitar a possibilidade de amaldiçoar o povo de Deus mais de uma vez (!), E pelo fato de que, se fosse um profeta legítimo teria visto de imediato o anjo do Senhor, sendo que a burra viu e ele não. Se ele realmente fosse um profeta de Deus, deveria ter recusado imediatamente a oferta de Balaque.
  • Balaão não é descrito de forma positiva como outros gentios que conheciam o Senhor, Jetro (Êxodo 18:1-27) e Melquisedeque (Gênesis 14:18-20 e Hebreus 7:1-28).
  • O autor, Moisés, usa “Deus” ao invés de “Senhor”, que Balaão usa. Este parece ser um recurso literário cujo intuito é o de distanciar o Deus de Israel do “Deus” ou “Senhor” de Balaão [2].
  • Ao retornarem pela primeira vez, os mensageiros de Balaque não mencionam que Deus, o Senhor, foi quem proibiu Balaão de aceitar o serviço proposto (Números 22:14 – Então eles voltaram e foram falar com Balaque. E disseram:
  • – Balaão não quis vir com a gente.). Já, já veremos a importância disso.
  • Os textos indicam que Balaão era tão embusteiro, que mesmo após o incidente com a burra, ainda resolveu, sabendo que não iria conseguir, insistir na trama de Balaque pra ver se seria possível amaldiçoar o povo de Deus ou pelo menos levar uma graninha (Números 23 e 24). Após o ocorrido, para não deixar o cliente decepcionado, Balaão dá a dica pra fazer com que Deus se zangue com Israel: Incitá-los à idolatria e imoralidade sexual, como descrito em Números 25 e explicado posteriormente em Números 31:16 (Lembrem que foram as mulheres que, seguindo os conselhos de Balaão, fizeram com que os israelitas fossem infiéis a Deus, o Senhor, adorando o deus Baal-Peor. Foi por isso que houve uma epidemia no meio do povo de Deus.).

 

Resolvendo a burrada de balaão

 

Para resolver tudo isso, existe uma “anti-explicação” por parte dos teólogos liberais, que pura e simplesmente diz que os trechos se contradizem pois nada mais são que colagens feitas por editores, muito tempo depois, durante o cativeiro babilônico. Entretanto, essa “explicação” falha ao ignorar a integridade estrutural da história, e o contexto externo, pois ela se encaixa melhor no final da idade do bronze, ao invés do final da idade do ferro II, quando supostamente foram realizadas as colagens e edições. Balaão era de Petor, localizada em uma região identificada como sendo mencionada no Século 15 A.C. em um inscrição de Alalaque, no norte da Síria [3].

 

 

De forma geral, a explicação mais comum para o caso Balaão é que, apesar de não ser assim um Moisés, tinha contato com o Deus de Israel, que havia efetivamente falado com ele e o mandado ir com os Moabitas. O Senhor se irou porque Balaão, na verdade, tentado pelas ofertas de riquezas, estava mais interessado mesmo era em conseguir um dinheiro, e não fazer a vontade de Deus. O incidente com a burra seria uma espécie de provação da fé, assim como Deus havia feito com Moisés anteriormente (Êxodo 4:24-26 o motivo da provação foi o fato de que Moisés não circuncidara seu filho) [4, 5, 6]. Essa até é uma explicação possível, todavia:

 

Uma solução irônica!

 

Ainda resta uma pergunta pertinente: Se Balaão era tudo de ruim assim, porque o trecho Bíblico em Números 22 relata que ele falou com Deus? A melhor explicação para o que ocorre neste trecho é que isso tudo é uma contradição intencional, ou seja, o autor interrompe a narrativa histórica e adiciona trechos satirizando Balaão [7, 8]!

 

Como nós não vivemos naquele tempo, não temos uma boa noção do quanto o sujeito era famoso, nem conseguimos perceber o quão óbvia a piada é, mas vamos tentar imaginar a mesma situação hoje em dia. Imagine que você seja um desses caras que acredita em tudo e candidato a algum cargo eletivo político, como não custa nada (pra quem é muito rico!), você resolveu encomendar um trabalhinho com digamos, algum vidente ou macumbeiro muito famoso recente, uma mãe Dinah, Rodrigo Tudor ou o tal Jucelino Nóbrega da Luz. Tá, você (Balaque) mandou seu assessor se encontrar com o macumbeiro, para marcar um encontro e fazer o trabalho. Mas ao retornar o assessor te responde: Olha Dr., ele não quis vir…. E não: Deus não deixou ele vir! Note que o fato de Deus não ser mencionado evidencia a hipótese de que Balaão não havia falado com o Senhor coisíssima nenhuma.

 

Qual seria a reação mais óbvia? Você já sabe que, pagando, o cara faz até amarração para o amor, mas se recusou a vir fazer um trabalho pra você, tão influente (e rico!)? Ora, tá na cara que esse cara quer mais dinheiro. Sendo assim você manda um representante mais importante com um cheque em branco na mão (o equivalente à situação Bíblica). Adivinha quem chegou depois com o assessor? Ele mesmo: O macumbeiro, com uma conversa esquisita, mas veio mesmo assim…

 

Note que, mesmo havendo essa inserção de trechos satirizando Balaão, no fim das contas o Senhor efetivamente acabou usando ele após o incidente com a burra: Mas para abençoar Israel e não o contrário. É importante ressaltar que Deus humilhou um golpista, que achava que podia manipulá-lo, de forma extrema: O “profeta” eloqüente e importante, além de não ver o anjo do Senhor de imediato (ao contrário da burra) apela para a violência física contra a burra, que não somente o salvou do anjo, mas por ordem do Senhor o derrota com argumentos [8]!

 

Mas e a burra?

 

Mas você pode estar se perguntando: E a burra falando? Não é uma contradição? A resposta é simples: Não, é um milagre (seja lá qual foi o método utilizado por Deus pra fazer essa burra falar). Deus é o criador dos Céus e da Terra, pode fazer milagres à vontade, isso não é uma contradição Bíblica. O relato não é aceito pelos críticos, pois a visão de mundo deles exclui de imediato a ocorrência de milagres. Mas aí é problema deles.

 

Referências e notas:

 

[1] KAISER, WC & GARRET, D (Editores). Archaeological Study Bible. Zondervan. 2006. pp. 228-229.

[2] BARKER, K (Organizador). Bíblia de estudo NVI. Ed. Vida. 2003. p. 244.

[3] GEISLER, N. (Editor). The Apologetics Study Bible. Holman. 2007. p. 238.

[4] Ibid. pp. 238-239.

[5] ARCHER, GL. New International Encyclopedia of Bible Difficulties. Zondervan. 2001. p 140.

[6] KAISER, WC. Hard Sayings of the Bible. Inter-Varsity Press. 1996. pp. 139-141 (Versão eletrônica).

[7] http://www.tektonics.org/af/balaamnum.html

[8] http://www.midreshetmoriah.com/alumnae/maor.asp?id=33

A LIGAÇÃO ENTRE O CÂNCER DE MAMA E O ABORTO

novembro 13, 2007 às 12:58 am | Publicado em Blogroll, Uncategorized | Deixe um comentário

 

A LIGAÇÃO ENTRE O CÂNCER DE MAMA E O ABORTO

 

Por: Robert Cihak & Michael Glueck. NewsMax.com, July 27, 2005.

 

Tradução: Maximiliano Mendes.

O artigo original pode ser encontrado aqui:

http://www.discovery.org/scripts/viewDB/index.php?command=view&id=3018

 

As notícias sobre os perigos do aborto estão se espalhando, apesar da supressão por parte de cientistas e certos interesses – Em particular, a relação do aborto e o subseqüente câncer de mama em mulheres jovens, menores de 18 anos de idade. Elas deveriam ser informadas sobre a ligação entre o aborto e o câncer de mama, especialmente se engravidarem de forma inesperada.

 

A evidência favorecendo uma ligação entre o aborto e o câncer de mama continua a se acumular. Em uma recente compilação e análise exaustiva das evidências, na edição do verão de 2005 da National Catholic Bioethics Quarterly, o Dr. Joel Brind, professor de biologia e endocrinologia na The City University of New York’s Baruch College, atualiza a evidência a favor e contra a ligação.

 

Dentre algumas das evidências mais impressionantes está o aumento do risco de câncer de mama em mulheres jovens. Por exemplo, o estudo da Dra. Janet Daling em 1994 revelou a porcentagem estatisticamente significante de 50 % a mais de incidência de câncer de mama entre mulheres que tiveram aborto induzido, em comparação com outras mulheres.

 

Mas dentre as mulheres menores de 18, quando tiveram seu primeiro aborto, o aumento da incidência foi de 150 %. Dentre essas, 12 também tinham um histórico familiar de câncer de mama; todas elas desenvolveram a doença antes de terem completado 45 anos de idade.

 

Mulheres menores de 18 anos que não tinham um histórico familiar de câncer de mama, mas cujos abortos foram realizados após oito semanas de gestação, sofreram um aumento de 800 % na incidência de câncer de mama.

 

Uma associação do aborto com o subseqüente câncer de mama é biologicamente plausível. Destruir a primeira gravidez de uma mulher com um aborto induzido cancela a transformação normal do tecido dos seios em tecido produtor de leite. Durante essa transformação, hormônios estimulam as células dos seios a se dividirem e multiplicarem rapidamente. Após o nascimento do bebê, o tecido do seio começa a produzir leite, completando a mudança.

 

Mas interromper o processo no meio do caminho deixa muitas células dos seios ainda não completamente diferenciadas em células produtoras de leite. Células não-diferenciadas têm um potencial maior para se transformarem em células cancerígenas. Então faz sentido, biologicamente, que o desenvolvimento do tecido dos seios interrompido pelo aborto o torne mais propenso a se transformar em cancerígeno mais tarde na vida.

 

Os níveis hormonais sobem e caem de forma muito mais gradual em gravidezes que terminam em abortos espontâneos do que com abortos induzidos. Mulheres com abortos espontâneos não mostram aumento na incidência de câncer de mama.

 

Embora a Suprema Corte [dos Estados Unidos] tenha legalizado o aborto em 1973, no caso Roe vs Wade, a ligação entre esta prática e o câncer de mama ainda não era imediatamente aparente, pois a maioria das mulheres tendo abortos induzidos estavam no período mais propício à procriação, do final da adolescência até por volta dos 35 anos de idade, e a maioria das mulheres que desenvolvem câncer de mama são mais velhas, nos seus 60 e 70 anos. Em outras palavras, levaria várias décadas para que tal ligação se manifestasse.

 

Hoje em dia, as companhias farmacêuticas têm de incluir muitas informações nas bulas dos remédios, incluindo não somente os efeitos colaterais comuns e as reações adversas, mas também tudo o que aconteceu com qualquer pessoa que os tenha tomado durante os testes clínicos, relacionado ou não com o remédio. Embora a inclusão de reações insignificantes ou muito raras seja algo excessivo, as mulheres grávidas deveriam ser informadas sobre as associações biológicas plausíveis, documentadas e estatisticamente significantes do aborto com o subseqüente câncer de mama.

 

A evidência controversa não deveria ser ignorada. Como dito pela Dra. Jane Orient, diretora executiva e ex-presidente da Associação Americana de Médicos e Cirurgiões, o risco elevado é “substancial, em particular para as mulheres que abortam sua primeira gravidez jovens e que têm um histórico familiar de câncer de mama”.

 

Algumas dessas jovens, menores de 18, são praticamente adolescentes. Elas merecem uma proteção melhor do que a atualmente proporcionada pelas leis e sociedade Americana.

 

Robert J. Cihak, M.D., é um Membro Sênior e Membro do Conselho Administrativo do Discovery Institute e ex-presidente da Associação Americana de Médicos e Cirurgiões.

Michael Arnold Glueck, M.D., é um escritor que já ganhou vários prêmios e comenta acerca de questões médico-legais.

SISTEMA URINÁRIO

novembro 12, 2007 às 8:08 pm | Publicado em Blogroll, Uncategorized | Comentários desativados em SISTEMA URINÁRIO

SISTEMA URINÁRIO

Inicialmente, vejamos algumas definições essenciais:

Excretas: Substâncias indesejáveis, resultantes do metabolismo celular. Em altas concentrações podem causar danos ao organismo, sendo assim, devem ser eliminadas. Exemplo: A alta concentração de uréia no sangue (uremia), que pode até levar ao coma.

Excreção: Eliminação de excretas em geral (excretas nitrogenados, CO2…) e substâncias em excesso, como a H2O, sais e etc. Diversos órgãos e estruturas do corpo podem atuar no processo de excreção, como por exemplo, os pulmões, eliminando o excesso de CO2, e as glândulas sudoríparas da pele, eliminando água, sais e uréia (em menores quantidades que a urina).

Excretas nitrogenados: São substâncias resultantes do metabolismo das proteínas e aminoácidos – Amônia, Uréia e Ácido úrico:

Solubilidade em água.

Toxidade

Amônia

Alta

Alta

Uréia

Intermediária

Intermediária

Ac. Úrico

Baixa

Baixa

Há gasto energético para converter a amônia em uréia e ácido úrico.

Os excretas nitrogenados são gerados da seguinte forma:

O aminoácido sofre desaminação durante o processo de neoglicogênese, gerando amônia e glicose:

Aminoácido > Glicose + Amônia

A amônia então reage com o CO2 para gerar uréia, nosso principal excreta nitrogenado.

NH3 + CO2 > H2NCONH2 (uréia).

O sistema urinário é o conjunto de órgãos e estruturas responsáveis pela filtração do sangue e a conseqüente formação da urina. É o principal responsável pela eliminação dos excretas nitrogenados (além, óbvio, de eliminar outros tipos de excretas).

CONSTITUIÇÃO:

Dois Rins: O rim é um órgão de aproximadamente 10 cm, com forma de feijão, localizado na parte posterior da cavidade abdominal. Sua função é filtrar o sangue e remover dele os excretas e outras substâncias em excesso. O sangue a ser filtrado chega aos rins trazido pela artéria renal, e retorna para a circulação pela veia renal. Cada rim possui duas regiões funcionais:

  • Córtex: Parte mais externa, contém os néfrons (exceto as alças néfricas, que se localizam na medula). Os néfrons são microfiltros que constituem a unidade funcional fundamental dos rins, em breve veremos mais sobre eles.
  • Medula: Parte mais interna, constituída de (depois você vai ver o que essas coisas fazem):
    • Pirâmides renais: Grupos de dutos coletores.
    • Cálices renais.
    • Pelve renal: Onde a urina é lançada.

Ureteres: Canais que conduzem a urina até a bexiga via movimentos peristálticos.

Bexiga urinária: Órgão muscular em forma de balão localizado na cintura pélvica, que armazena a urina (~300 ml) até o momento adequado para sua eliminação.

Uretra: Conduz a urina para fora do corpo. OBS: Nos homens, a uretra também faz parte do sistema genital (nas mulheres não!).

COMO OCORRE A FILTRAÇÃO DO SANGUE E A FORMAÇÃO DA URINA

Os rins são constituídos de néfrons, unidades responsáveis pela filtração do sangue e formação da urina (são microfiltros), consistem de túbulos com uma extremidade em forma de cálice. O sangue chega aos néfrons trazido por uma arteríola aferente e parte deles por uma arteríola eferente.

Corpúsculo renal: Composto pela extremidade em forma de cálice, a cápsula renal, envolvendo um novelo de capilares, o glomérulo renal. É o local onde ocorre a filtração: No glomérulo o sangue chega trazido por uma arteríola aferente em alta pressão, 70-80 mmHg, o que força a saída de líqüido sangüíneo para a cápsula. Este líqüido que extravasa é chamado de filtrado glomerular ou urina inicial, e é constituída de uma solução aquosa contendo moléculas pequenas, como sais, glicose, vitaminas, aminoácidos e excretas. Por dia, passam pelo glomérulo 2000 L de sangue, e a partir desse volume são formados 160 L de filtrado glomerular. Este filtrado passa para os túbulos renais, constituídos de:

Túbulo contorcido proximal: É o local onde ocorre a reabsorção ativa, de substâncias importantes para o funcionamento do organismo (aminoácidos, glicose, sais, vitaminas…), para a arteríola eferente. Reabsorção: As substâncias passam do interior do néfron de volta para o sangue (arteríola eferente).

Alça néfrica: Porção dos néfrons localizada na medula dos rins. Aqui ocorre reabsorção de água.

Túbulo contorcido distal: Local onde ocorre secreção/eliminação ativa de substâncias, basicamente excretas nitrogenados, da arteríola eferente para o túbulo renal. Eliminação/Secreção: Substâncias passam do sangue para o interior do túbulo renal. No final do túbulo contorcido distal o filtrado já foi transformado em urina. A urina é um fluído amarelado contendo excretas nitrogenados, no nosso caso, principalmente uréia.

A cor amarela da urina se deve à presença de um pigmento amarelo, a urobilina, resultante da degradação da hemoglobina. (Hemoglobina > Bilirrubina > Estercobilina + Urobilina).

OBS: Por dia são formados aproximadamente 1,5 L de urina, ou seja, 98 % dos 160 L de filtrado são reabsorvidos!

Dutos coletores: Cada túbulo renal desemboca em dutos coletores, que eliminarão a urina nos cálices renais. Nos dutos coletores ocorre reabsorção de água (dos dutos para a arteríola eferente).

Controle hormonal da função renal

Hormônio antidiurético: ADH (ou vasopressina), produzido pelo hipotálamo e secretado pela hipófise posterior. Este hormônio inibe o processo de produção de urina, chamado diurese (anti produção de urina, ou anti diurese).

  • Posmótica alta (“pouca água” no sangue) > Promove a secreção de ADH > Promove a reabsorção de água nos túbulos contorcidos distais e dutos coletores. Ou seja, há a formação de menos urina (menos diurese).
  • Posmótica baixa (“muita água” no sangue) ou álcool > Inibe a secreção de ADH > Promove a diurese.

Aldosterona: Hormônio produzido nas glândulas adrenais, cuja função é controlar a quantidade de Na+ no sangue, ao estimular a reabsorção de Na+ nos túbulos contorcidos distais e dutos coletores.

  • Baixa concentração de sódio ou baixa pressão sangüínea > Promovem a secreção de renina pelos rins. Esta enzima irá converter angiotensinogênio em angiotensina:
    • Angiotensina > Promove secreção de aldosterona pelas glândulas adrenais > Promove a reabsorção de Na+ e o aumento da pressão sangüínea.

Peptídio natriurético atrial (PNA): Hormônio produzido pelo coração, cuja função é atuar no sentido de diminuir o volume sangüíneo e a pressão sangüínea (função meio que oposta à da aldosterona).

  • Aumento do volume sangüíneo > Causa a expansão dos átrios > Promove a produção de PNA > Inibe a secreção de renina, aldosterona e ADH > Diminui o volume e a pressão sangüínea.

SISTEMA RESPIRATÓRIO

novembro 8, 2007 às 6:24 pm | Publicado em Blogroll, Uncategorized | Comentários desativados em SISTEMA RESPIRATÓRIO

SISTEMA RESPIRATÓRIO

O termo respiração pode ser definido de duas formas:

  • Respiração celular: processo que ocorre nas mitocôndrias, e cujo objetivo é a produção de energia a partir de uma seqüência de reações de oxidação da glicose:
    • C6H12O6 + O2 à CO2 + H2O + Energia (na forma de ATP).
  • Respiração Pulmonar: consiste em trocas gasosas entre o ar e o sangue. O nome desse processo é hematose, e ele ocorre nos alvéolos pulmonares. Neste caso, os gases respiratórios são o O2, utilizado no processo de respiração celular, e o CO2, resultante deste mesmo processo.

O sistema respiratório é o conjunto de órgãos responsáveis por efetuar as trocas gasosas entre o ar e o sangue de forma adequada. É constituído por dois pulmões mais as vias respiratórias, os condutos por onde o ar circula.

Vejamos então o caminho percorrido pelo ar, desde o exterior do corpo até o local das trocas gasosas:

Narinas: por onde o ar entra no organismo.

Cavidades nasais: aquecem, umedecem e filtram o ar. Possuem um epitélio revestido por muco (onde partículas de sujeira se aderem), e também são responsáveis pelo sentido do olfato, pois abrigam o epitélio olfatório. O interior das cavidades nasais apresenta dobras chamadas cornetos nasais, responsáveis por fazer com que o ar inalado circule e seja aquecido (condicionado) graças às trocas de calor com o sangue que percorre a rede de vasos sangüíneos presente no local.

Faringe: tubo compartilhado pelos sistemas respiratório e digestório, conduz o ar até a laringe.

Laringe: órgão tubular constituído por peças cartilaginosas articuladas, uma das quais é a proeminência laríngea. Possui pregas vocais, capazes de produzir sons durante a passagem do ar. A abertura da laringe é chamada glote, e possui uma tampa cartilaginosa chamada epiglote, que a fecha quando engolimos o bolo alimentar que desce pela faringe tendo como destino o esôfago. Quando este mecanismo falha, o alimento cai na laringe e então engasgamos.

Traquéia: outro tubo (1,5 x 10 cm) com paredes reforçadas por anéis cartilaginosos que o mantêm aberto. O epitélio da traquéia é ciliado e produz muco, com função de proteção. Os cílios se contraem de forma rítmica, com o intuito de expulsar partículas de sujeira para fora do aparelho respiratório. Além da traquéia, os brônquios e bronquíolos também apresentam esse epitélio ciliado e com células produtoras de muco.

Brônquios: tubos que conduzem o ar para os pulmões.

Bronquíolos: ramificações que partem dos brônquios. Cada bronquíolo apresenta um alvéolo em sua extremidade. Nos alvéolos estão as superfícies onde ocorrem as trocas gasosas.

Pulmões: órgãos esponjosos (25 cm; 700 g) localizados na caixa torácica. Abrigam os alvéolos e uma rede de vasos sangüíneos que traz o CO2 proveniente da respiração celular para ser eliminado, e recolher o O2 atmosférico a fim de transportá-lo para as células do corpo.

  • Pulmão direito – 3 lóbulos; Pulmão esquerdo – 2 lóbulos (para acomodar o coração).
  • São envoltos por duas membranas de tecido conjuntivo chamadas pleuras. Entre as duas pleuras há um espaço preenchido por líqüido, cujo intuito é reduzir o atrito sobre a superfície dos pulmões, que seria causado pelo seu enchimento e esvaziamento (de ar).
  • Alvéolos: sacos de paredes finas formadas por células achatadas e recobertas por capilares, são as superfícies onde ocorrem as trocas gasosas.
    • 150 milhões em cada pulmão; 1600 km de capilares ligados a uma superfície alveolar do tamanho de uma quadra de tênis.
  • Hematose: difusão de O2 dos alvéolos pra o sangue, e de CO2 do sangue para o ar dos alvéolos. Lembrando que o processo de difusão se dá do meio de maior concentração para o de menor concentração.

Ventilação: renovação do ar dos pulmões. Depende da ação de dois grupos musculares (os músculos respiratórios):

  • Músculos intercostais: músculos entre as costelas, levantam as costelas quando se contraem.
  • Diafragma: membrana musculosa que separa a cavidade torácica da abdominal. Quando se contrai, empurra os órgãos da cavidade abdominal para baixo.

  • Inspiração: Entrada de ar nos pulmões: ocorre quando os músculos respiratórios se contraem, o que aumenta o volume dentro da caixa torácica, diminuindo sua pressão interna.
  • Expiração: Saída de ar dos pulmões: Ocorre quando os músculos respiratórios relaxam, o que diminui o volume dentro da caixa torácica, aumentando sua pressão interna.
    • *O volume de ar inspirado e expirado é de aproximadamente 0,5 L. Por dia, passam 1000 L de ar pelos pulmões, sendo 450-500 L de O2 e 400-450 L de CO2.

Controle dos movimentos respiratórios: os movimentos respiratórios podem ser voluntários ou involuntários. No caso do controle involuntário, a estrutura responsável é o bulbo raquidiano, localizado no encéfalo, que envia, de 5 em 5 s, a ordem para que os músculos respiratórios se contraiam. Além disso, o controle da contração da musculatura torácica e do diafragma também se dá baseado na concentração de CO2 no sangue, refletida pela diminuição de seu pH:

CO2 + H2O > H2CO3 > aumenta a acidez do sangue, esse aumento é detectado por receptores que enviam essa informação ao bulbo, que por sua vez irá aumentar a estimulação dos músculos respiratórios.

COMO SE DÁ O TRANSPORTE DOS GASES RESPIRATÓRIOS

Hemoglobina: proteína localizada no interior dos eritrócitos, constituída de quatro subunidades (duas α e duas β), sendo que cada uma possui um grupamento chamado heme, contendo um íon ferroso capaz de se ligar ao O2. Um detalhe importante: A hemoglobina fetal é distinta da hemoglobina que produzimos quando adultos, a fetal possui maior afinidade pelo oxigênio do que a adulta. Isso é necessário para que possa haver o transporte adequado de oxigênio do sangue da mãe para o feto através da placenta.

O2: transportado ligado às moléculas de hemoglobina. HbO2 (oxiemoglobina). Há 250 milhões de moléculas de hemoglobina por hemácia, e cada uma transporta 4 O2 (visto que é constituída de quatro subunidades). De forma geral, a afinidade da hemoglobina pelo O2 é baixa, e quanto maior a acidez do meio, menor ainda é a afinidade (efeito Bohr). Lembre-se que, os peixes ósseos enchem suas bexigas natatórias de gás oxigênio quando secretam ácido lático no sangue, diminuindo seu pH e fazendo com que as moléculas de hemoglobina liberem oxigênio.

CO2: Transportado de três formas distintas:

  • 5-7 % dissolvido no plasma.
  • 23 % na forma de carboemoglobina HbCO2
    • *Carboxiemoglobina HbCO, um composto estável. CO é resultante da fumaça do cigarro e combustão de motores de veículos.
  • 70 % na forma de íons bicarbonato: CO2 + H2O > H2CO3 > H+ + HCO3 (no plasma). Esta reação, que pode se dar nos dois sentidos é catalisada por uma enzima chamada anidrase carbônica.
    • Tecidos: CO2 à Hemácia à HCO3
    • Alvéolos: HCO3à Hemácia à CO2 (e daqui pra fora do corpo).

DOENÇAS RELACIONADAS COM O SISTEMA RESPIRATÓRIO

  • Sinusite: inflamação de cavidades nos ossos da face (seios). Causa dores e corrimento nasal.
  • Asma Brônquica: diminuição do calibre dos bronquíolos, devida à contração da musculatura lisa deles, e aumento de secreções. Causa dificuldade para respirar e cianose (coloração azulada da pele e mucosas devida ao aumento da concentração de CO2).
  • Enfisema pulmonar: obstrução completa dos bronquíolos. Pode haver rompimento das paredes dos alvéolos comprometendo grandemente o processo de hematose. A causa é o acúmulo de detritos (como os da fumaça do cigarro).


Entries e comentários feeds.