SISTEMA CIRCULATÓRIO

setembro 4, 2007 às 6:07 pm | Publicado em Blogroll, Uncategorized | Comentários desativados em SISTEMA CIRCULATÓRIO

SISTEMA CIRCULATÓRIO

O sistema circulatório consiste de um conjunto de estruturas, como o coração e os vasos sangüíneos, responsáveis pelo transporte de substâncias diversas pelo corpo, e para os seus destinos adequados. Como exemplos de substâncias e destinos, podem-se citar:

· Os gases respiratórios, oxigênio e dióxido de carbono. Nos pulmões, há a eliminação do CO2, resultante do processo de respiração celular, e a difusão do O2 atmosférico para a corrente sangüínea, o processo de hematose.

· O sistema circulatório transporta os excretas, dejetos potencialmente nocivos, resultantes do metabolismo celular, para o sistema urinário, a fim de serem eliminados pela urina.

· Transporta nutrientes absorvidos pelo sistema digestório para as células dos tecidos do corpo.

· Transporta também outras substâncias, como imunoglobulinas (anticorpos) e hormônios. Como transporta imunoglobulinas e as células do sistema imunológico, o sistema circulatório também está envolvido na função de defesa imune.

O sistema circulatório é composto por: Um coração, os vasos sangüíneos, que se ramificam por todo o corpo, e o sangue, meio líqüido onde as substâncias a serem transportadas estão dissolvidas.

CORAÇÃO: Órgão musculoso, oco, constituído de tecido muscular estriado cardíaco, de contração involuntária, o miocárdio. Basicamente, é uma bomba que se enche de sangue, e ao se contrair de forma rítmica, impulsiona o sangue pelos vasos sangüíneos. O coração dos mamíferos é constituído de 4 câmaras: 2 átrios e 2 ventrículos, separados por septos. Os átrios são cavidades menores, por onde o sangue chega ao coração, trazido pelas veias, ao passo que os ventrículos são cavidades maiores, com parede mais espessa, que ao se contraírem enviam o sangue para os pulmões e outros tecidos do corpo pelas artérias.

Chama-se sístole a contração da musculatura do coração, e diástole o relaxamento. Ocorrem então sístole e diástole ventriculares, e sístole e diástole atriais. Quando os ventrículos estão contraídos, os átrios estão relaxados, e vice versa.

VASOS SANGÜÍNEOS: Túbulos que se ramificam por todo o corpo, por onde o sangue circula e transporta substâncias.

Existem basicamente três tipos de vasos:

· Artérias: São os vasos responsáveis por transportar o sangue do coração para os tecidos do corpo. Têm esse nome, pois no passado, acreditava-se que eram preenchidas por ar. As artérias de baixo calibre são chamadas arteríolas.

· Veias: São os vasos responsáveis por transportar o sangue dos tecidos do corpo de volta para o coração (o coração diz “Venha!” para o sangue). As veias de baixo calibre são chamadas vênulas.

· Capilares: São os vasos mais finos, constituídos de apenas uma camada de células, e sendo assim, são os locais onde ocorrem as trocas de substâncias entre o sangue e os tecidos do corpo, pois nos capilares, parte do sangue extravasa para os tecidos.

O sangue que sai do coração percorre o seguinte caminho: Coração à Artérias à Arteríolas à As arteríolas se ramificam em diversos Capilares, que depois confluem em à Vênulas à Veias à E de volta para o coração.

Os tecidos que compõem as artérias e veias são, de dentro para fora:

· Túnica interna: um tecido epitelial, o endotélio;

· Túnica média: uma parede constituída de tecido conjuntivo elástico e musculatura lisa. Essa camada de musculatura lisa é capaz de se contrair e diminuir o calibre do vaso, regulando o fluxo de sangue que passa por ele. Além disso, a túnica média tem a função de conferir às artérias, resistência contra o fluxo sangüíneo de alta pressão proveniente do coração.

· Túnica adventícia: Camada constituída por tecido conjuntivo fibroso.

As diferenças entre as artérias e veias são basicamente:

· As artérias possuem a túnica média mais espessa que a das veias, para suportarem as grandes pressões geradas pela sístole ventricular.

· As veias possuem a túnica média mais fina, pois não necessitam suportar grandes pressões, em contrapartida, para impedir que o sangue flua no sentido contrário, possuem válvulas, dobras do revestimento interno de um órgão, que funcionam como se fossem portões, capazes de se abrir somente em um sentido. As válvulas impedem o refluxo sangüíneo.

o Quando as válvulas não funcionam de forma adequada, e não são capazes de impedir o refluxo sangüíneo, o sangue que flui no sentido contrário tende a se acumular nas veias e promove a dilatação delas, originando as chamadas varizes. Que podem causar dores e edemas (inchaços) nas pernas.

o OBS: O coração também possui válvulas, como veremos adiante.

SANGUE: É um tecido conjuntivo especializado, cuja porção líqüida, extracelular é bastante abundante. É constituído de:

· Plasma: Parte líqüida. Constitui aproximadamente 55 % do sangue.

· Elementos figurados: Constitui aproximadamente 45 % do sangue. É a parte sólida, composta de células e fragmentos de células produzidas na medula óssea vermelha (localizada nas extremidades de ossos longos, as epífises):

o Leucócitos: As células brancas, responsáveis pela defesa imune do organismo.

o Eritrócitos ou hemácias: As células vermelhas, pois carregam em seu interior, um pigmento, denominado hemoglobina, no qual o oxigênio se liga para ser transportado. Sendo assim, têm a função de transporte de oxigênio.

o Megacariócitos: Células grandes, capazes de liberar fragmentos de si, as plaquetas, envolvidas no processo de coagulação sangüínea.

Trajeto do sangue pelo sistema circulatório:

O sangue proveniente dos tecidos do corpo, pouco oxigenado e com maior concentração de CO2 dissolvido, chega ao átrio direito do coração pelas veias cavas, superior e inferior. Ao se contrair, o átrio direito envia o sangue pouco oxigenado para o ventrículo direito, passando por uma válvula, chamada tricúspide. Ao se contrair, o ventrículo direito envia o sangue pouco oxigenado para os pulmões, passando por uma válvula semilunar direita, e através da artéria pulmonar. Nos alvéolos pulmonares ocorre a hematose, processo de trocas gasosas, em que o CO2 dissolvido no sangue é eliminado para a atmosfera, e o O2 dissolvido no ar, difunde-se para o sangue (e se liga às moléculas de hemoglobina). O sangue agora oxigenado volta para o coração pelas veias pulmonares, chegando ao átrio esquerdo. Quando o átrio esquerdo se contrai, envia o sangue para o ventrículo esquerdo, passando por uma válvula bicúspide ou mitral, e, finalmente, ao se contrair, o ventrículo esquerdo envia o sangue oxigenado para os tecidos do corpo, passando pela válvula semilunar esquerda e através da artéria aorta, reiniciando o ciclo. A irrigação do miocárdio é feita pelas artérias coronárias, que se ramificam a partir da artéria aorta.

OBS: O circuito coração à pulmões à coração é chamado pequena circulação, ao passo que o circuito coração à corpo à coração é chamado grande circulação. Como existem esses dois circuitos em animais pulmonados, a circulação é dita dupla.

O controle da freqüência cardíaca (nº de batimentos / tempo):

O coração bate por volta de 60-220 vezes por minuto em um adulto saudável. Essa freqüência é mantida graças à presença de grupos de células cardíacas especializadas do coração, chamados nós: Um nó sinoatrial e um nó atrioventricular. Essas células são capazes de gerar sinais elétricos que estimulam a contração do miocárdio, sendo que as do nó sinoatrial são chamadas de marca-passo cardíaco, pois são capazes de gerar impulsos mais rapidamente.

Medição da pressão arterial com o esfigmomanômetro:

O esfigmomanômetro é um aparelho simples utilizado para medir a pressão arterial, a força exercida pelo sangue contra as paredes das artérias. O aparelho consiste basicamente de uma bolsa de ar inflável, associada a uma coluna de mercúrio para medir a pressão. A medição é feita da seguinte forma:

  • Enrola-se a bolsa em volta do braço do indivíduo, e ela é inflada até que feche os vasos e interrompa o fluxo sangüíneo para o antebraço. Isso é acompanhado com o uso de um estetoscópio posicionado nas proximidades da articulação braço/antebraço.
  • Reduz-se a pressão na bolsa (esvaziando-a), de forma que aos poucos o sangue volta a ser capaz de fluir pelos vasos. Assim que o sangue começa a fluir, o valor de pressão no medidor indica a pressão sistólica, ou máxima, que representa a contração dos ventrículos. Em um adulto saudável, espera-se que esse valor esteja por volta de 120 mmHg.
  • Na medida em que a pressão na bolsa diminui, o fluxo de sangue vai sendo completamente restaurado, ou seja, o sangue passa pelos vasos sangüíneos tanto durante a sístole quanto durante a diástole ventricular, e isso é acompanhado por uma mudança do som que pode ser escutado com o uso do estetoscópio. O fluxo de sangue exercendo menor pressão é a pressão diastólica (diástole dos ventrículos) ou pressão mínima, cujo valor é aproximadamente de 80 mmHg em um adulto saudável.

Os valores das medidas de pressão são dados como se representassem uma fração, 120/80, ou 12/8. Valores acima desses, podem indicar hipertensão, e abaixo, pressão baixa.

Doenças do sistema circulatório:

De forma geral, as doenças do sistema circulatório são causadas pelo entupimento dos vasos sangüíneos, decorrentes de dietas muito calóricas ou um estilo de vida sedentário na frente do videogame, Orkut, MSN ou rotinas estressantes, como as de um policial, agente penitenciário ou professor. Algumas das quais são:

  • Aterosclerose: tipo de arteriosclerose (enrijecimento dos vasos). Doença causada pela deposição de placas de lipídios no interior das artérias. O resultado disso é o endurecimento do vaso, com a perda da elasticidade, o aumento da pressão arterial e o favorecimento da formação de coágulos sangüíneos.
  • Infarto do miocárdio: Morte das células do tecido muscular estriado cardíaco, causada pela perda da irrigação e oxigenação destas células. Geralmente é causado pelo entupimento das artérias coronárias. É tratado retirando-se parte de uma veia da perna chamada safena, e utilizando esse vaso para se fazer uma ponte entre as porções não obstruídas das artérias coronárias (ponte de safena).
  • Isquemia cerebral: Obstrução de artérias que irrigam o cérebro, podendo causar a morte de células do tecido nervoso, prejudicando a atividade cerebral, causando um acidente vascular cerebral.
  • Hipertensão: Pressão arterial alta, causada por um estilo de vida estressante. As pressões elevadas podem originar lesões nas artérias e derrames de sangue no cérebro.

Blog no WordPress.com.
Entries e comentários feeds.

%d blogueiros gostam disto: