A FÉ IMPOSSÍVEL – PARTE 6

janeiro 23, 2007 às 1:55 am | Publicado em Blogroll, Uncategorized | Deixe um comentário

 

A FÉ IMPOSSÍVEL

Ou: Como não começar uma religião antiga.

Por: J.P. Holding – Tektonics.org

http://www.tektonics.org/lp/nowayjose.html

 

Fator #6 – A tolerância é uma virtude

 

Já mencionamos sobre o problema do Cristianismo ser visto como um “inovador arrogante”. Agora compliquemos mais: Não somente um inovador, mas um inovador exclusivista. Muitos céticos e descrentes de hoje em dia se dizem desinteressados devido à “arrogância” e o exclusivismo Cristãos. E quão mais no mundo antigo? Os Romanos já eram grosseiramente intolerantes (ponto 2 já visto); quão mais no contexto de outra fé muito nova jogando o mesmo jogo e alegando abolir a ordem social e religiosa? Quão mais, se uma fé que surge nos diz que devemos parar de freqüentar nossas igrejas (e na verdade, preferiria que nós as derrubássemos!), parar com as nossas festas, parar de obedecer à ordem social que já estava em vigor desde o tempo dos nossos venerados ancestrais até agora? Como DeSilva nota, “a mensagem sobre este Cristo era incompatível com a mais arraigada ideologia religiosa do mundo dos Gentios, como também com a mais recente mensagem propagada na ideologia imperial Romana” [46] (i.e., a pax Romana contra a escatologia e julgamento de Deus). Os Cristãos se recusaram a acreditar nos deuses, “os guardiões da estabilidade da ordem mundial, os patronos generosos que proviam tudo o que era preciso para a manutenção da vida, como também os concessores de pedidos individuais”. Assim como os Judeus, os Cristãos foram acusados de ateísmo sob esta regra. Além do mais, devido ao fato de que não havia aspectos da vida social que fosse secular – a religião era tão mesclada à vida pública, que faria legiões de advogados da ACLU morrerem sufocados – Os Judeus e os Cristãos se mantinham afastados da vida pública, e, portanto, causavam a indignação de seus vizinhos.

 

Isso já era ruim o bastante, mas os Judeus também eram intolerantes com a nova fé. As famílias de Judeus sentiriam pressão social para isolar os convertidos e evitar a vergonha da conversão deles. Sem algo para superar a intolerância dos Judeus e dos Romanos, o Cristianismo estava condenado.

TrackBack URI

Blog no WordPress.com.
Entries e comentários feeds.

%d blogueiros gostam disto: