REINO PROTOCTISTA – AS ALGAS E OS PROTOZOÁRIOS

março 12, 2007 às 6:20 pm | Publicado em Blogroll, Uncategorized | Deixe um comentário

REINO PROTOCTISTA – AS ALGAS E OS PROTOZOÁRIOS

 

O Reino Protoctista é constituído pelas algas e protozoários, seres vivos que habitam ambientes aquáticos, ou úmidos, e com algumas espécies parasitas. Estes seres têm várias origens evolutivas distintas (Reino polifilético). De forma geral, os organismos eucariontes que não se encaixam adequadamente nos Reinos Fungi, Plantae e Animalia, são classificados como pertencentes a este Reino.

Não obstante, pode-se destacar a multicelularidade como sendo uma apomorfia  importante do grupo (constitui o primeiro passo no que diz respeito ao surgimento de tecidos verdadeiros).

 

ALGAS

 

São seres:

 

  • Eucariontes;

  • Unicelulares ou pluricelulares;

  • Autótrofos fotossintetizantes.

 

As algas compreendem um grupo diverso de organismos geralmente aquáticos ou de ambientes úmidos, um dos quais, o das algas verdes, é considerado o ancestral evolutivo das plantas. Apesar disto, as algas não são plantas, pois não apresentam um embrião multicelular que retira alimento da planta genitora. Ao corpo das algas pluricelulares dá-se o nome de TALO, estrutura que superficialmente pode se parecer com as partes de uma planta, mas que não possui tecidos diferenciados, nem raízes, folhas e caules verdadeiros.

 

De forma geral, as algas são organismos que vivem em ambientes aquáticos, tanto de água doce quanto de água salgada, e também em ambientes úmidos. A maioria das algas apresenta parede celular, sendo que em certos casos, alguns componentes destas paredes celulares podem ser de interesse econômico.

OBS: As algas aquáticas podem fazer parte tanto do Plancton quanto do Bentos:

  • Plâncton: Grupo de organismos que vivem à deriva em ambientes aquáticos. Os animais são chamados zooplâncton, e as algas e plantas, fitoplâncton.
  • Bentos: Grupo de organismos aquáticos que vivem fixos a um substrato.

 

No que diz respeito à reprodução, as algas podem apresentar reprodução:

 

  • Assexuada

    • Divisão binária, no caso de algas unicelulares, em que uma célula se divide originando duas iguais.

    • Fragmentação do talo, em que um fragmento da alga pode regenerar um novo talo.

    • Zoosporia, em que uma alga pluricelular produz ZOÓSPOROS, células flageladas que têm a capacidade de se desenvolver e originar um novo indivíduo adulto.

  • Sexuada

    • Pela formação de zigósporos, em que duas células adultas funcionam como gametas, unindo-se e formando um zigoto dentro de um envoltório chamado ZIGÓSPORO. Este zigoto sofre meiose e origina 4 novos indivíduos.
    • Por CONJUGAÇÃO, em que há a diferenciação de certas células de um filamento em gametas masculinos e femininos, que se unem, originando um zigoto. Este, por sua vez, dá origem a novos talos.

    • Alternância de gerações. Há a alternância de indivíduos adultos haplóides (n), os gametófitos (“planta” que produz gametas) e indivíduos adultos diplóides (2n), os esporófitos (“planta” que produz esporos). Neste caso, os gametófitos (n) produzem gametas (n), que após a fecundação originam um zigoto (2n). O zigoto se desenvolve e origina um esporófito (2n), que produz esporos (n). Os esporos germinam e originam gametófitos, reiniciando o ciclo.

 

Importância ecológica das algas: As algas, por serem autótrofas fotossintetizantes, são a base das cadeias alimentares de ambientes aquáticos (são os produtores). São também responsáveis por ~90% da fotossíntese realizada no planeta, sendo assim, são responsáveis pela manutenção da quantidade de O2 presente na atmosfera (~21%). (São o pulmão do mundo, ao passo que as grandes florestas são grandes aparelhos de ar condicionado).

 

Importância econômica das algas: Várias espécies de algas pluricelulares são utilizadas na alimentação humana, como as algas pardas, verdes e vermelhas. Além disso, como já visto, algumas apresentam em suas paredes celulares, substâncias de interesse econômico (ver tabela a seguir).

 

 

A tabela a seguir mostra uma classificação das algas:

Filo

Importância e peculiaridades

Chlorophyta

(algas verdes)

Prováveis ancestrais das plantas; algumas espécies são comestíveis; podem formar associações endossimbióticas com fungos (líquens) e cnidários (zooclorelas).

Phaeophyta

(algas pardas)

Apresentam espécies comestíveis (kombu); Possuem os maiores talos. A algina da parede dá a consistência de alimentos, como a espuma da cerveja, e funciona como emulsificante de sorvetes, doces e maionese.

Rhodophyta

(algas vermelhas)

Apresentam espécies comestíveis (sushi). O ágar da parede é utilizado na fabricação de géis, e a carragenina, como estabilizante de emulsões.

Bacillariophyta (diatomáceas)

Recobertas por carapaças chamadas FRÚSTULAS, constituídas de SiO2. O acúmulo de carapaças no fundo do mar origina os DIATOMITOS, utilizados na produção de polidores, filtros e isolantes térmicos.

Chrysophyta

(algas douradas)

Nada particularmente especial…

Euglenophyta (euglenóides)

Populações grandes destes organismos sugerem que as águas estão poluídas por matéria orgânica.

Dinophyta (dinoflagelados)

São as responsáveis por causar as MARÉS VERMELHAS, fenômeno em que ocorre a proliferação excessiva destes organismos, com a liberação de toxinas nas águas, que terminam por matar animais marinhos. Podem ser encontrados associados com protozoários actinopodes e corais (zooxantelas). Algumas apresentam bioluminescência. Atribui-se ao fenômeno do aquecimento global, o fato de que os corais estão se tornando brancos devido à morte das zooxantelas.

 

Charophyta (carofíceas)

 

Nada particularmente especial…

OBS: Nos casos em que ocorre eutrofização, o fator determinante é o aumento das concentrações de NO3- e SO4-2 no meio.

PROTOZOÁRIOS

 

Protozoário é um termo que significa animal primitivo, são seres (comparar com as algas):

 

  • Eucariontes;

  • Unicelulares;

  • Heterótrofos.

 

Podem ser de vida livre, geralmente aquáticos, ou então parasitas. Uma característica marcante deste grupo é o fato de que alguns destes organismos (os ciliados) possuem células bastante complexas, Com dois núcleos, um micronúcleo e um macronúcleo, e com regiões especializadas, análogas aos órgãos dos seres pluricelulares com tecidos verdadeiros. Temos como exemplos:

 

  • VACÚOLO CONTRÁTIL – elimina o excesso de água absorvida pelo protozoário. Elimina também excretas. Responsável pela osmorregulação e excreção.

  • Citoprócto – “ânus” celular.

  • Citóstoma – “boca” celular.

  • Tricocistos – Bolsas com fios enovelados, cuja função é a defesa. Disparam quando o protozoário está sendo atacado.

 

No que diz respeito à reprodução, esta pode ser:

 

  • Assexuada

    • Divisão binária.

    • Divisão múltipla, em que ocorre a multiplicação do núcleo, antes da divisão propriamente dita.

  • Sexuada

    • Fusão de organismos adultos e formação de um zigoto, que por sua vez origina outros indivíduos.

 

Os ciliados, que possuem um macronúcleo e um micronúcleo, podem efetuar o processo de CONJUGAÇÃO. O processo é mediado pelos micronúcleos, que se multiplicam e são transferidos para a célula parceira. Ocorre a degeneração do macronúcleo das células e depois a sua conseqüente reorganização, mediada pelos micronúcleos. O processo termina por gerar quatro indivíduos diferentes dos dois originais.

 

A classificação dos protozoários é baseada em características das células, como a flexibilidade da membrana plasmática e as estruturas locomotoras que possuem (as estruturas locomotoras, nas espécies sésseis, são utilizadas para a captura de alimento):

Filo

Características

Rhizopoda

(amebas)

Célula flexível. Locomovem-se e capturam alimento com o uso dos PSEUDÓPODES. Algumas formam carapaças chamadas TESTAS. Entamoeba histolytica causa a amebíase.

Actinopoda

(radiolários e heliozoários)

 

Também apresentam pseudópodes. Os radiolários apresentam uma cápsula central de sustentação (os heliozoários não). Associam-se de forma simbiótica com algas (ZOOXANTELAS – dinoflageladas).

Foraminifera

(foraminíferos)

Também apresentam pseudópodes. Possuem um esqueleto perfurado que pode formar depósitos calcários chamados VASAS. São indicadores da presença de petróleo.

Apicomplexa

(esporozoários)

Não possuem estruturas locomotoras. Todos são parasitas. Apresentam uma organela chamada COMPLEXO APICAL, responsável pela penetração do protozoário na célula hospedeira. Plasmodium vivax causa a malária.

Zoomastigophora

(flagelados)

Locomovem-se com o uso de flagelos (nas espécies sésseis, os flagelos servem para a captura de alimentos). Trypanosoma cruzi causa a doença de chagas.

Ciliophora

(ciliados)

Locomovem-se com o uso de cílios (nas espécies sésseis, os cílios servem para a captura de alimentos). Apresentam células bastante complexas (como já visto acima). Têm dois núcleos, um Macronúcleo e um Micronúcleo (este, envolvido no processo de conjugação).


Algumas doenças causadas pelos protozoários:

 

AMEBÍASE: Também chamada disenteria amebiana, é causada pelo protozoário Entamoeba histolytica, um rizópode. Adquire-se o protozoário via ingestão de água e alimentos contaminados com CISTOS (bolsas contendo amebas). As amebas invadem células da parede intestinal, causando diarréias sanguinolentas. Previne-se com medidas de saneamento básico. O tratamento é feito com medicamentos específicos.

 

LEISHMANIOSE: Causada por protozoários do gênero Leishmania. Pode ser:

  • Visceral, quando o baço e o fígado são atacados. Os sintomas são febre e perda do apetite.

  • Tegumentar, também chamada ÚLCERA DE BAURU, quando o protozoário ataca a pele. O sintoma principal é o aparecimento de feridas ulcerosas.

O protozoário é transmitido pela picada do mosquito palha (gênero Lutzomya). Previne-se combatendo o mosquito (inseticidas, uso de filós, eliminar criadouros – águas paradas). O tratamento é feito com medicamentos contendo o elemento químico Antimônio (Sb).

 

DOENÇA DE CHAGAS: Causada pelo protozoário Trypanossoma cruzi, cujo vetor são insetos hematófagos de hábitos noturnos chamados barbeiros, como o Triatoma infestans. Eles têm esse nome pois picam geralmente no rosto, a parte que fica descoberta quando dormimos. Ao picar a pessoa, o barbeiro elimina fezes contaminadas com o protozoário, pois suga uma quantidade muito grande de sangue. Ao se coçar, devido à reação inflamatória no local da picada, a pessoa acaba por provocar pequenas lesões na pele, e é por aí que os protozoários penetram no organismo. Eles se instalam preferencialmente nas células cardíacas. Os sintomas iniciais são febre e cansaço. Previne-se combatendo o inseto vetor com o uso de filós e o vedamento de frestas onde o inseto se esconde, por exemplo. A doença pode ser tratada com medicamentos específicos ainda no início da infecção. Lembre-se: Não é a picada do barbeiro que transmite o protozoário, ele é adquirido a partir das fezes contaminadas, penetrando pelas lesões causadas no ato de coçar!

 

MALÁRIA: Causada por protozoários do gênero Plasmodium, transmitidos pela picada das fêmeas dos mosquitos do gênero Anopheles também chamados mosquitos prego (não confundir com o palha, da leishmaniose). Os protozoários infectam inicialmente o fígado e depois infectam e lisam as hemácias em ciclos regulares, de 48 h ou 72 h, dependendo do plasmódio (é importante observar alguma figura mostrando esse ciclo de vida!). Os sintomas principais são febres em intervalos regulares de tempo, coincidentes com os eventos de lise das hemácias. O tratamento é feito com o uso de medicamentos capazes de eliminar o protozoário do sangue como o quinino e a artemisina (que infelizmente acabam por selecionar formas resistentes), e a prevenção é feita combatendo-se os mosquitos. É curioso notar que: A expiração de indivíduos infectados com os plasmódios atraem fêmeas não infectadas dos mosquitos. É mole?

OBS:

  • Parasitas Heteroxenos: O parasita necessita de mais de um hospedeiro para completar seu ciclo de vida.
    • Hospedeiro definitivo: É aquele onde ocorre a reprodução sexuada (pode haver também reprodução assexuada). Geralmente é o homem, mas no caso da malária, por exemplo, é o mosquito.
    • Hospedeiro intermediário: É aquele onde só ocorre reprodução assexuada.
  • Parasitas Monoxenos: O parasita necessita de apenas um hospedeiro para completar seu ciclo de vida.
About these ads

TrackBack URI

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com. | O tema Pool.
Entries e comentários feeds.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: