COMO JUDAS MORREU?

outubro 27, 2006 às 10:11 am | Publicado em Blogroll, Uncategorized | Deixe um comentário

Judas Iscariotes, o traíra mais famoso de todos os tempos, até no que diz respeito à sua morte, cria problemas que precisam ser esclarecidos.

Nesta postagem lidarei com três Questões:

1) Como Judas morreu afinal de contas?

2) Quem comprou uma propriedade?

3) Temos aqui um erro de profecia?

1) COMO JUDAS MORREU?

São apresentados dois relatos, um no Evangelho de Mateus, e o outro em Atos dos Apóstolos:

  • A Morte de Judas – Mateus 27:3-10: 5Então Judas jogou o dinheiro para dentro do Templo e saiu. Depois foi e se enforcou. 6Os chefes dos sacerdotes pegaram o dinheiro e disseram: – Isto é dinheiro sujo de sangue, e é contra a nossa Lei pôr esse dinheiro na caixa das ofertas do Templo.
  • A Escolha de Matias – Atos 1:12-26: 18(Com o dinheiro que tinha recebido pelo seu crime, Judas comprou um terreno. Nesse terreno ele caiu e se arrebentou, e os seus intestinos se esparramaram. 19Todos os moradores de Jerusalém ficaram sabendo disso. Por isso deram àquele terreno o nome de “Aceldama”, que na língua deles quer dizer “Campo de Sangue.”)

Podemos ver que ambos os relatos apresentam diferenças, Mateus, que escreveu para um grupo de judeus, diz que Judas se enforcou, enquanto Lucas, aquele que se propôs a fazer um relato preciso das coisas [1], diz que ele caiu (ou pulou?), possivelmente de algum lugar alto. Sendo assim, como resolver esse conflito?

Para o crítico é simples: Como a Bíblia tem de estar errada a priori, então isso aí é só mais um suposto erro dela. Todavia, como veremos, é possível resolver este problema, investigando de forma minuciosa.

Em primeiro lugar, estes dois relatos podem ser mutuamente complementares, pois não são contraditórios. A explicação padrão sobre a morte de Judas, é a de que, assim como descrito em Mateus, ele teria se enforcado. Acredita-se que tenha sido acima do vale de Hinnom, utilizando uma árvore à beira de um penhasco. Eventualmente a corda ou o galho se rompeu, e o corpo de Judas caiu e teve o fim descrito em Atos [2]. Como Judas se enforcou na Páscoa, e antes do Sábado, haveria tempo para que isso acontecesse, pois o esperado é que nenhum Judeu iria mexer no corpo: tocar um defunto o deixaria impuro [3], e tirá-lo de lá, constituiria trabalho no Sábado [4]. Será que o galho poderia ter se rompido? Sim, é possível, inclusive porque até hoje em dia, muitas árvores ali da região apresentam os galhos mortos e secos [5].

É interessante notar que, logo após a morte, bactérias começam a decompor os tecidos, e como resultado, ocorre a liberação de gases (subprodutos metabólicos delas). Sendo assim, o corpo incha, e como resultado pode ser que o abdome “estoure” mais facilmente, principalmente depois do corpo ter caído. Em 29 de Janeiro de 2004, a barriga de uma baleia morta que estava sendo transportada para um centro de pesquisa em Taiwan estourou no meio da rua! Justamente devido ao acúmulo de gases resultantes do processo de decomposição (Figura 1) [6]. (Este inchaço também consistia em problema durante o processo de mumificação de corpos, realizado pelos egípcios [7]).


Figura 1. Resultado do estouro da barriga de uma baleia, graças à ação bacteriana.

Entretanto, apesar desta explicação ser satisfatória, não é a melhor explicação possível (minha opinião). É bem mais provável que Mateus estivesse fazendo uma referência ao Velho Testamento, pois uma combinação de palavras semelhante à encontrada em Mateus 27:5, também é vista em 2 Samuel 17:23 [8]:

  • Quando Aitofel [9] viu que o seu conselho não tinha sido seguido, arreou o seu jumento e voltou para a sua cidade. E, depois de pôr os seus negócios em ordem, enforcou-se. E foi enterrado na sepultura do seu pai.

Outras passagens relevantes:

No Salmo 41:9 o Rei Davi fala mais sobre a traição de Aitofel (A interpretação rabínica é a de que Davi efetivamente se refere a Aitofel):

  • Até o meu melhor amigo, em quem eu tanto confiava, aquele que tomava refeições comigo, até ele se virou contra mim.

E em João 13:18, Jesus diz:

  • – Não estou falando de vocês todos; eu conheço aqueles que escolhi. Pois tem de se cumprir o que as Escrituras Sagradas dizem: “Aquele que toma refeições comigo se virou contra mim”.

Acho que já deu pra pegar a idéia. Mateus na verdade estava fazendo uma tipologia, ou seja, utilizar um relato sobre certos eventos passados, a fim de fazer uma comparação com os eventos atuais [10], neste caso: Judas/Aitofel traiu Jesus/Davi. Enquanto a descrição em Atos, é a do que aconteceu com o corpo, no fim das contas.

Bem, tendo resolvido este problema (creio eu), vamos para o próximo:

2) E O TERRENO?

Se Judas morreu, como poderia ter comprado o terreno? Em Atos, Lucas diz que ele comprou, e Mateus diz que os sacerdotes compraram. Como conciliar os relatos?

A palavra em grego utilizada por Mateus para descrever a compra é agorazo [11], que neste caso significa comprar mesmo. Já Lucas, em Atos, utiliza a palavra ktaomai [12], que além de significar comprar, também significa possuir, sentido que agorazo não tem [4].

Judas foi ao templo e desistiu do dinheiro antes de se matar. Todavia, o dinheiro continuava sendo seu, pois era “sujo”, devido à traição de um inocente. Sendo assim, este dinheiro não poderia mais fazer parte dos cofres do templo, não poderia ser ofertado ao Senhor, pois era impuro, e os sacerdotes tinham de se livrar rapidamente dele. A melhor saída foi utilizá-lo para comprar o campo onde Judas Iscariotes morreu e fez o favor de deixar impuro com seu cadáver, tornando o terreno apropriado para ser utilizado como um cemitério para estrangeiros/gentios (“campo de sangue”). É bem provável que, quando Lucas foi investigar os relatos e analisar os registros da propriedade, observou que o campo estava no nome de Judas Iscariotes, ou então ironizou a situação da compra [4,5].

Foi chamado “campo de sangue”, pois foi comprado com a recompensa da iniqüidade, o crime de traição de sangue inocente [4]:

  • Mateus 27:6-8: 6Os chefes dos sacerdotes pegaram o dinheiro e disseram:
  • Isto é dinheiro sujo de sangue, e é contra a nossa Lei pôr esse dinheiro na caixa das ofertas do Templo.
  • 7Depois de conversarem sobre o assunto, resolveram usar o dinheiro para comprar o “Campo do Oleiro”, a fim de que servisse como cemitério para os não-judeus. 8Por isso aquele campo é chamado até hoje de “Campo de Sangue”.
  • Atos 1:12-26: 18(Com o dinheiro que tinha recebido pelo seu crime, Judas comprou um terreno. Nesse terreno ele caiu e se arrebentou, e os seus intestinos se esparramaram. 19Todos os moradores de Jerusalém ficaram sabendo disso. Por isso deram àquele terreno o nome de “Aceldama”, que na língua deles quer dizer “Campo de Sangue.”)

Aparentemente, alguns tentam forçar uma contradição, dizendo que no trecho de Atos, o nome campo de sangue é devido ao fato de Judas ter se espatifado lá. Provavelmente não é o caso, inclusive porque como já vimos, o autor poderia estar ironizando a situação, e pra falar a verdade, eu particularmente não acho que um corpo, nesses tempos, provocasse tanto espanto ao ponto de inspirar o nome de um local.

3) MAS PELO MENOS A PROFECIA TÁ ERRADA NÉ?

Esse pedaço final é esquisito (detalhe: oleiro é quem produz potes/vasos de cerâmica):

  • Mateus 27:9: 9Assim aconteceu o que o profeta Jeremias tinha dito: “Eles pegaram as trinta moedas de prata, o preço que o povo de Israel tinha concordado em pagar por ele, 10e as usaram para comprar o campo do oleiro, como o Senhor me havia mandado fazer.”

Acontece que, essa passagem na verdade tem mais a ver com Zacharias 11:4-17, do que com Jeremias. Adianto que não pretendo discutir significados e coisas do tipo aqui, mas deixo enumeradas as passagens pertinentes (de preferência, ler todas por completo posteriormente):

  • Zacarias 11:4-17;
  • Jeremias 18:1-11;
  • Jeremias 19:1-15;
  • Jeremias 32:1-15.

Para este problema, a explicação é a seguinte: Zacarias pode ter sido o escritor, mas o tema que Mateus invoca é derivado de Jeremias. O ponto principal da citação de Mateus é o campo, e o que ele fez foi combinar e resumir elementos de simbolismo profético, tanto de Zacarias quanto de Jeremias [5]. Apesar de parecer completamente esquisito para os nossos padrões, os rabinos chamavam várias pessoas de um nome só, se eles julgassem que suas atividades fossem semelhantes, como as coisas ditas por eles (profecias, ensinamentos…). Aparentemente a idéia era honrar a pessoa que mais merecia as glórias. Mateus utilizou-se deste expediente aqui, “fundindo” Zacarias (profeta menor) e Jeremias (profeta maior), e chamando ambos de Jeremias [13,5]. Como Mateus escreveu para Judeus, era de se esperar que eles imediatamente fizessem as devidas associações.

(Esse mesmo expediente é também utilizado em Marcos 1:23, que atribui a Isaías, uma citação combinada de Malaquias 3:1 e Isaías 40:3 [5]).

Mateus utiliza a idéia de que Jeremias é o profeta do Messias rejeitado [13]. Vejamos o comentário de Menken, M.J.J (1984) a seguir [14]:

“Uma resposta parcial está no fato de que na narrativa (27:2-8) e na citação (27:9-10), algumas passagens de Jeremias também exercem influência. O trecho em Jeremias 18:2-3, onde se menciona um oleiro e não a compra de um campo é freqüentemente dado como exemplo, como também o trecho em Jeremias 32:6-9, onde se fala sobre a compra de um campo, mas não se fala sobre oleiros. Uma referência a Jeremias 19 pode ser mais direta: Na frente dos anciões e sacerdotes, Jeremias tem de quebrar um pote de barro como símbolo dos desastres que irão acometer Judá e Jerusalém por causa da idolatria, e porque ‘essa gente encheu este lugar com o sangue de pessoas inocentes’ (Jeremias 19:4). O profeta tem de fazer isso no lugar que é chamado Tofete [Tophet] mas será chamado ‘vale da matança’, e se tornará um grande cemitério. Os pontos de contato entre este trecho e Mateus 27:3-10 são óbvios.”

Além disso, podemos ver anteriormente outra associação de Jesus à Jeremias em Mateus 16:13-14 [13]:

13Jesus foi para a região que fica perto da cidade de Cesaréia de Filipe. Ali perguntou aos discípulos:

  • – Quem o povo diz que o Filho do Homem é? 14Eles responderam: – Alguns dizem que o senhor é João Batista; outros, que é Elias; e outros, que é Jeremias ou algum outro profeta.

Bem, como disse, não pretendo discutir profecias ou coisas do tipo, apenas me propus a procurar uma solução para o aparente problema do trecho citado ter mais a ver com Zacarias do que com Jeremias. Sei que a explicação parece estranha para os nossos padrões, sinto muito, mas essa forma de fazer citações era válida antigamente (e já posso imaginar o festival de argumentos pelo ultraje [15]).

4) CONCLUINDO

Este suposto problema da morte de Judas aparentemente tem status de contradição superstar em meio aos críticos. Todavia também é fato que a maioria dos críticos são nada mais que uma turba inflamada com pretensões de auto-afirmação e grandeza. A verdade é que a maioria não lê nada, só tentam justificar seu modo de vida com críticas pueris e argumentos vindos diretamente do livro do Juquinha ou dos famosos “ateólogos” da internet (que se julgam doutores em hebraico). Creio que expus uma série de respostas convincentes para os supostos problemas relacionados à morte de Judas. Mas por outro lado, também sei que existem pessoas que até hoje crêem que o Lulla não sabia de nada…

5) REFERÊNCIAS:

[1] Ver Lucas 1:1-4 (escrito em grego clássico).

[2] http://www.apologeticspress.org/articles/2846

[3] Ver Números 19:16.

[4] http://www.tektonics.org/gk/judasdeath.html

[5] ARCHER, G. New International Encyclopedia of Bible Difficulties. Zondervan, 2001. p.344.

[6] http://news.bbc.co.uk/1/hi/sci/tech/3437455.stm

[7] http://www.touregypt.net/featurestories/mummification.htm

[8] CONRAD, A. The Fate of Judas. Toronto Journal of Theology, 1992. Citada em [4]. Interessante notar que, aparentemente a autora não concorda com esta explicação.

[9] Segundo a encyclopedia do software Ilumina gold: (Irmão Louco) Conselheiro de Davi (2Sm 16.23). Junto com Absalão se revoltou contra Davi e acabou cometendo suicídio (2Sm 16—17).

[10] Mais sobre tipologia aqui: http://www.christian-thinktank.com/typol.html

[11] http://bible.crosswalk.com/Lexicons/Greek/grk.cgi?number=59&version=kjv

[12] http://bible.crosswalk.com/Lexicons/Greek/grk.cgi?number=2932&version=kjv

[13] http://www.tektonics.org/lp/mattstudy.html#ttwo

[14] Maarten J.J. Menken, “The References to Jeremiah in the Gospel according to Matthew,” Ephemerides Théologiques et Lovanienses 60 (1984): 5-25. Citado em [13].

[15] Argumentum ad cerebrosus.

About these ads

TrackBack URI

Blog no WordPress.com. | O tema Pool.
Entradas e comentários feeds.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: